bonus de cadastro

Especial FL: Por onde anda o Cerro Corá do Paraguai?

Foto: Reprodução Internet/Cerro Corá

*Por José Dias Sorriso – Colaborador do Futebol Latino

Quantos times que escreveram os seus nomes na história do futebol e que atualmente acende no coração de seus fanáticos torcedores a esperança de um dia poder voltar aos momentos de glória. Pois então, nós levaríamos tempos aqui para mencionar vários destes clubes.

Leia Mais: Com gol nos minutos finais, Huracán perde, mas avança na Liberta
Escândalos não afetaram as finanças da Conmebol, garante Alejandro Domínguez

Exemplo disso, o São Caetano que assombrou a América, o Juventude de Caxias do Sul, Paulista de Jundiaí, Criciúma e o Santo André que foram campeões da Copa do Brasil, além do Ipatinga FC que levantou a taça do Campeonato Mineiro em 2006 em uma decisão com o Cruzeiro, calando o Mineirão.

Nesta matéria especial não vamos falar de nenhuma destas equipes brasileiras mas, de um clube paraguaio que viveu momentos marcantes e que atualmente convive com a dura sina de fazer parte apenas do terceiro escalão (terceira divisão) do futebol de seu país.

CERRO CORÁ

Vamos apresentar aos nossos leitores um pouco da história do Cerro Corá. Fundado em 1925, o time de Assunção participou pela primeira vez da Primeira Divisão do Campeonato Paraguaio em 1991, depois de ter vencido a segundona no ano anterior (1990).

Aquele elenco campeão contava com: Jacinto Rodríguez, Jorge Valdez, Víctor Rivas, Pedro Sandoval, Rotela, “Tibú” Caballero, Adelio Salinas, Arístides Saldívar, Milciades Morel, Francisco Velázquez e “Motoneta” Zárate.

Mostrando o mesmo futebol aguerrido que o coroou na segunda divisão, o time conseguiu vaga para a Copa Conmebol (atualmente Copa Sul-Americana) do ano seguinte (1992).

Veio o ano de 1995 e o pesadelo do rebaixamento, retornando para a segunda divisão. Mas, não demorou muito tempo para criar raízes novamente e voltar à elite um ano depois. Curiosamente, assim como da primeira vez em que chegou ao primeiro escalão, a equipe conseguiu a vaga para disputar pela segunda vez em sua história a Copa Conmebol.

PARTICIPAÇÃO NA CONMEBOL

Em sua primeira participação na Copa Conmebol, em 1994, o time enfrentou o tradicional Huracán na primeira fase e não tomou conhecimento do adversário no jogo de ida, na Argentina. Foi um acachapante 4 a 1.

Naquela oportunidade, o destaque ficou para Amarilla, que balançou a rede duas vezes. Pizurno e Silvero complementaram para os paraguaios que calaram o estádio. O gol de honra do Huracán foi de Barrios. Veio o duelo de volta na cidade de Assunção e o Cerro Corá acabou derrotado por 2 a 1 mas, avançou a fase seguinte. Romero fez para o time da casa enquanto que, Jimenez e Arias para a equipe argentina.

Na segunda fase o time bem que tentou superar uma das camisas mais gloriosas do futebol sul-americano porém, sucumbiu diante do Peñarol – que seria vice-campeão daquele ano – perdendo na decisão para o São Paulo. Na ida o Cerro conseguiu a proeza e anotou 3 a 1 sobre os uruguaios, jogando em Assunção. Izaguirre e Julio Romero (duas vezes) marcaram os gols do Cerro. Broli descontou para o time aurinegro do Uruguai.

Na partida de volta o cerro não foi páreo para o Peñarol que eliminou a equipe da competição aplicando um sonoro: 6 a 1. Rodriguez (3), Pacheco e Bengoechea fizeram para a equipe uruguaia. Silvero descontou.

De volta à competição, em 1998, o Cerro Corá voltou a fazer uma boa campanha e caiu novamente nas quartas de final. Acabou eliminado pelo Atlético-MG. No jogo de ida houve empate por 2 a 2, no Mineirão. Na volta, o duelo voltou a ficar em igualdade: 0 a 0.

Na marca da cal o time brasileiro levou a melhor ao vencer por 4 a 2. O campeão da competição naquele ano foi o Santos, que na final bateu o Rosário Central. O Galo caiu para os argentinos na semifinal.

MERGULHO NA CRISE

Depois de cinco anos na elite do futebol paraguaio, o Cerro Corá voltou a cair para a segunda divisão no ano de 2001.

O que já estava ruim ficou ainda pior, quando os torcedores do clube viram três anos depois, mais um rebaixamento, em 2004, para a terceira divisão paraguaia. No ano de 2006 a equipe sofreu o pior de todos os golpes, que foi o rebaixamento para a quarta divisão.

Após uma boa campanha na quarta divisão, o clube conseguiu reacender a chama da esperança na torcida, com a volta para a terceirona em 2008 e conseguindo no ano seguinte o acesso para a Divisão Intermédia (segunda divisão). Sem mostrar um bom futebol, o clube que tem o Independiente como seu maior rival voltou a terceira divisão, onde permanece desde a temporada 2011.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Futebol Latino 2023