SHARE
FABOL-ameaça-parar-Apertura-Bolívia-Futebol-Latino-14-09
Foto: Reprodução/FABOL

Mais uma vez, problemas extra-campo podem atrapalhar o andamento do futebol na Bolívia. Agora, a situação de impasse volta a ser de dívidas pendentes entre clubes e alguns jogadores da primeira divisão local.

Leia mais: Kaká fala pela primeira vez sobre polêmica expulsão na MLS
Brasileiro espera surpreender Olympiacos na estreia do Campeonato Grego

Antes mesmo do início do Apertura vencido pelo Bolívar, ou seja, no início de 2017, os representantes da Futebolistas Agremiados da Bolívia (FABOL) que é o “sindicato” que representa os atletas de futebol profissional no país, já haviam ameaçado fazer um greve mediante a situação de inadimplência no Real Potosí.

Segundo declarou nessa terça-feira (15) David Paniagua, secretário-geral da Fabol, a inadimplência de algumas equipes não especificadas com jogadores pode até inviabilizar a continuidade do Clausura boliviano.

Depois de sair de uma reunião onde justamente Paniagua tentou sem sucesso chegar a um acordo com os devedores, as palavras do representante da Fabol foram extremamente críticas:

“Existem clubes que não tem vontade de entrar em acordo ou cumprir o compromisso ao qual se chegou e, por isso, nessas condições, é impossível que o torneio continue.”

O tom de cobrança foi reforçado pelo presidente da Federação Boliviana de Futebol (FBF), Marco Peredo, ressaltando que nem mesmo a verba advinda da Copa Sul-Americana conseguiu fazer com que alguns clubes conseguissem “acertar as contas”:

“Existe uma falta de responsabilidade dos dirigentes, porque tem clubes que receberam recursos da Sul-Americana e, mesmo assim, não pagaram.”