SHARE
Foto: Divulgação

Campeão da Libertadores e Mundial com o São Paulo em 2005, Cicinho concedeu entrevista ao site Fox Sports, do Brasil e revelou qual jogador era o mais difícil de lidar dentro de campo. Segundo o lateral-direito, o chileno Valdívia irritava seus adversários por conta do lado “chorão”.

Leia Mais: De volta aos gramados, Verón está longe de ser protagonista no Estudiantes
Confira os resultados da sexta rodada do campeonato uruguaio

“Era um jogador que irritava muito o adversário com brincadeira dentro do campo. É um excelente jogador, mas que utilizava muita catimba dentro do campo. Ele não desrespeitava os jogadores, mas a questão de ficar reclamando com o árbitro irritava até o adversário. Era chato para quem jogava contra ele. Qualquer coisa ele pedia cartão, achava que tinha que expulsar o adversário. Era um jogador que ninguém podia encostar nele, e algumas vezes os árbitros se intimidavam. Essa era uma arma que ele tinha”.

Se por um lado Cicinho tinha dificuldade de lidar com as reclamações do Mago, ele tinha pesadelo quando precisava marcar Thierry Henry, do Arsenal. O brasileiro que passou pelo Real Madrid, relembra a dificuldade que teve para dar conta do francês durante os confrontos da Champions League.

“O jogador mais complicado que eu marquei, sem sombra de dúvidas, o foi o Henry, no período em que eu joguei no Real Madrid. Tive a oportunidade de jogar contra em uma fase espetacular dele no Arsenal. Era um jogador com uma passagem muito larga, e que caía muito pelo lado esquerdo do ataque, então eu tinha essa obrigação de defender. Nunca fui um exímio marcador, mas compensava na velocidade. Tive que correr bastante para tentar marca-lo, e nós fomos vitoriosos nesses jogos. Mas com certeza era um jogador que, naquela época, era impossível marcar”, disse o brasileiro.

Revelado pelo Atlético-MG, Cicinho foi contratado pelo São Paulo e brilhou durante a temporada de 2005. O destaque foi tão grande, que o lateral foi contratado pelo Real Madrid e jogou a Copa do Mundo de 2006.

Depois da passagem pelo time Merengue, o brasileiro passou pela Roma, Villareal e atualmente joga no Sivasspor, da Turquia.