COMPARTILHE
Argentina-Venezuela-Eliminatórias-Futebol-Latino-05-09
Foto: Arte Futebol Latino

A descoberta se teremos a Argentina ou não na próxima Copa do Mundo ficou ainda mais clara para ser feita no mês de outubro. Isso porque, em Buenos Aires, os donos da casa não saíram de um empate em 1 a 1.

Leia mais: Peru surpreende Equador fora de casa e entra na zona de classificação
Bolívia ganha na altitude de La Paz e complica vida do Chile nas Eliminatórias

Como já era de se esperar, a pressão nos primeiros minutos foi total e absoluta da Albiceleste, se limitando a jovem equipe da Venezuela a se retrair e tentar de todas as maneiras repelir as ofensivas dos donos da casa.

Usando e abusando da velocidade nos dois lados do campo, a Argentina tentava de tudo: Diagonais, triangulações, lances individuais, tudo bem marcado e travado pela defensiva da Vinotinto.

Por sua vez, a equipe de Rafael Dudamel tinha raríssimos momentos onde podia “respirar” com a posse de bola, se prejudicando também pelo fato de que, tendo uma marcação muito alta, os argentinos cortavam constantemente oportunidades de contra-ataque de seu adversário.

O lance de defesa mais plástica que teve de ser praticada pelo goleiro Wuilker Fariñez foi justamente quando Lionel Messi teve mais liberdade para finalizar. Na oportunidade, o 10 argentino chutou forte de pé-esquerdo de fora da área e o arqueiro visitante voou para espalmar com segurança pela linha de fundo.

Na volta do intervalo, quando o certame parecia seguir o mesmo roteiro dos 45 minutos iniciais, o primeiro grande contra-ataque montado pela Venezuela resultou em gol. Após retomar a bola no meio-campo, Sergio Córdova encontrou John Murillo em velocidade e, na saída de Sergio Romero, tocou com calma por sobre o arqueiro.

Para sorte de Jorge Sampaoli e seus pupilos, foi por pouco tempo que os argentinos ficaram atrás do placar. Aos nove, após mais um lance de bola esticada no lado esquerdo do ataque, o cruzamento encontrou a infiltração de Icardi que, na pequena área, concluiu para furar a barreira venezuelana.

Antes uma partida absolutamente unilateral, o passar do tempo foi fazendo com que a Vinotinto começasse a ter mais possibilidades de também usar suas armas ofensivas mesmo que ainda em doses homeopáticas.

Já para a Albiceleste, a partida ganhava tons mais dramáticos pela necessidade que a tabela trazia dos anfitriões vencerem. E, como consequência natural, o sempre exigente torcedor de Buenos Aires começava a se impacientar com as dificuldades encontradas.

Em meio a esse panorama, o apito final do chileno Roberto Tobar manteve a equipe argentina na quinta colocação com 24 pontos precisando conseguir bons resultados diante de Peru, em casa, e Equador na cidade de Quito para carimbar seu passaporte para a Rússia.

FICHA TÉCNICA

ARGENTINA 1 X 1 VENEZUELA
Local: Estádio Monumental de Núñez, Buenos Aires (Argentina)
Data-Hora: 5/9/2017 – 20h30
Árbitro: Roberto Tobar (CHI)
Auxiliares: Marcelo Barraza (CHI) e Claudio Rios (CHI)
Cartões amarelos: Yangel Herrera, Mikel Villanueva, Jhon Chancellor, Arquímedes Figuera, Rolf Felstcher (VEN), Éver Banega, Lautaro Acosta (ARG)
Cartões vermelhos:
Gols: John Murillo (4’/2°T), Rolf Felstcher (contra) (9’/2°T)

ARGENTINA: Sergio Romero; Javier Mascherano, Federico Fazio e Nicolás Otamendi; Éver Banega, Guido Pizarro, Ángel Di María (Marcos Acuña, aos 24’/1°T), Lautaro Acosta e Lionel Messi; Paulo Dybala (Darío Benedetto, aos 17’/2°T) e Mauro Icardi (Javier Pastore, aos 29’/2°T). Técnico: Jorge Sampaoli.

VENEZUELA: Wuilker Fariñez; Víctor García, Jhon Chancellor, Mikel Villanueva e Rolf Feltscher; Sergio Córdova (José Velásquez, aos 44’/2°T), Yangel Herrera (Juan Colina, aos 31’/2°T), Arquímedes Figuera, Junior Moreno e John Murillo; Salomón Rondón (Josef Martínez, aos 37’/2°T). Técnico: Rafael Dudamel.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here